Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

no souvenir

no souvenir

Barcelona

Barcelona estava na minha lista de viagens fazia tempo... mas escapava entre imprevistos mais ou menos previstos. Porque não voltar a Paris? Ir antes a Londres ou uma virose que venceu, no início deste ano, a minha vontade – já materializada numa passagem e hotel reservados – de conhecer a capital da Catalunha.

Neste mês, numa decisão de última hora (muitas vezes as melhores), consegui arranjar quatro dias para fugir. E Barcelona não escapou. Foi um caso de amor à primeira vista. Desde a chegada num dia de sol e temperaturas amenas em pleno outono, às varandas floridas, exibindo as bandeiras da Catalunha. O referendo pela independência havia sido na semana anterior e o orgulho catalão está mais pujante do que nunca.

Sem querer perder o foco deste texto noutros assuntos não menos importantes, centro-me na cidade que pude conhecer nestes dias. Cidade, sim. Barcelona, mais do que museus, igrejas ou monumentos, é uma cidade que vale por si.

Pelas ruas estreitas e labirínticas do Bairro Gótico, que se abrem em praças acolhedoras. Pela vida que passa ao ritmo do passo apressado nas Ramblas, onde todos os turistas acabam por parar. Pelos cafés, bares, restaurantes e padarias, pela vida de bairro. Pelo génio de Gaudí que deixou a sua marca inconfundível em vários pontos da cidade. Pelos altos e baixos, pelos contrastes. Do mar que avistamos ao longe entre o verde do Montjuic e o Park Guell, ao mar que sentimos de perto em Port Vell e Barceloneta. Cada parte da cidade tem histórias para contar, pautadas pela simpatia e o estilo próprio dos seus habitantes.

Ficou muito por ver, mas o que vi encheu-me o coração. Com a certeza absoluta de um amor à primeira vista, afirmo que esta é uma das minhas cidades de eleição. Barcelona, da próxima vez não me escapas.

barcelona.jpg

 Fotos publicadas no meu Instagram.